Mobilidade nas Ruas: Distrito de Ponta Negra (Maricá)

Uma das localidades mais bonitas e aprazíveis do município de Maricá, Ponta Negra possui diversos atrativos naturais, como a praia, ótima para a prática do surf e da pesca submarina.

EPT Maricá e Costa Leste Maricá operando a linha "Ponta Negra". Uma à R$ 2,70 e a outra com tarifa ZERO
Além do canal de águas calmas e límpidas, a lagoa, as montanhas e o farol, tornam o distrito de Ponta Negra um dos pontos turísticos mais importantes do município, de onde se tem uma visão panorâmica deslumbrante.



Ponta Negra já se chamou “Mariatiba” e “Iriritiba”, mas ganhou o nome atual em meados do século XIX, devido ao tráfico de escravos realizado na região. Com a proibição de importação de escravos para o Brasil, sendo proibido o desembarque deles no Cais do Valongo, o famoso porto que recebeu cerca de 1 milhão de escravos no Rio de Janeiro. Com a proibição em 1888, os escravos passaram a desembarcar em pontos clandestinos e um deles era em Ponta Negra.


Canal de Ponta Negra em Maricá - Foto: Maricá Info

Uma outra versão atribui o nome a cor de suas pedras, quando vistas pelas embarcações em alto mar, devido aos navegadores portugueses avistarem um imenso paredão negro do alto mar. Também é conhecido pelos nomes de Guarapina, Cururapina ou Cururupina. A primeira explicação é de origem indígena, sapo achatado ou sapo teimoso, pois havia muito destes na região, originando o nome da lagoa de Ponta Negra.



Como ponto de referência turística, Ponta Negra é um ótimo balneário, que oferece diversos atrativos para turistas e veranistas, mas também tem se tornado alternativa de moradia para muita gente do Rio de Janeiro e de outras cidades grandes em busca de sossego, paz e beleza.



O distrito é composto pelos bairros Ponta Negra, Jaconé, Cordeirinho, Guaratiba, Jardim Interlagos, Balneário Bambuí, Pindobal e Caju. Tal formação foi firmada através da Lei Complementar nº 207, de 16 de junho de 2010

Um dos pontos mais visitados por moradores e turistas em Maricá é o Farol de Ponta Negra. Do local pode se avistar toda orla marítima da cidade, Restinga, Barra de Maricá, Guaratiba, Cordeirinho, Ponta Negra; além da lagoa do Padre ao fundo.
Do mirante onde ca o farol, de propriedade da Marinha, é possível apreciar o visual da cidade, com praias, construções e lagoas.



O farol de Ponta Negra era um ponto de referência para os antigos navegadores e está incorporado ao patrimônio turístico e cultural da cidade.



O eixo rodoviário de Maricá é a RJ-106, ora duplicada, que acessa São Gonçalo e Niterói, a oeste, e Saquarema, a leste. A RJ-102 é a via litorânea que segue por toda a restinga, de Itaipuaçu a Ponta Negra, em direção a Saquarema. A RJ-114 dirige-se para Itaboraí, ao norte.



O distrito é cortado por rodovias estaduais, que ligam o município de Maricá à Niterói, São Gonçalo e Saquarema. A principal rodovia maricanese é a RJ-106 Governador amaral Peixoto. Essa corta orizontalmente o município servindo de elo de ligação entre os 5 distritos.

Os bairros ao distrito de Ponta Negra são cortados pelas estradas RJ-102 e RJ-118.


A RJ-102 possui 152,4 quilômetros de extensão ligando os municípios de Niterói, Maricá, Saquarema, Araruama, Arraial do Cabo, Cabo Frio e Armação dos Búzios. Em maricá, o trecho de 13,5km é denominado Avenida Maysa.



A Avenida Maysa, que passa pelos bairros de Guaratiba, Cordeirinho e Ponta Negra foi municipalizada em julho de 2015. 

A RJ-118 Estrada Velha de Jaconé com 24 quilômetros de extensão, liga a RJ-106, próximo ao distrito de Manuel Ribeiro, município de Maricá, ao distrito de Sampaio Corrêa, em Saquarema, sensdo o principal acesso à localidade de Jaconé.



Por cerca de 12 quilômetros, entre Ponta Negra, ainda em Maricá, e Jaconé, a rodovia foi completamente pavimentada durante o ano de 2010. Sendo mais uma das vias alternativas para a Região dos Lagos. Atualmente é denominada Estrada Sampaio Corrêa-Jaconé.



Todo o segmento da RJ-118 serviu como leito da Estrada de Ferro de Maricá entre 1913 e 1962, quando o trecho entre Maricá e Cabo Frio foi suprimido. Em Ponta Negra foi construída a Estação Tinguí, sendo mais tarde renomeada como Nilo Peçanha. A estação ficava localizada na confluência da RJ-102 com a RJ-118.


Inauguração da estação de Tinguy em 1º de maio de 1913 - Foto: O Malho de 10 de maio de 1913

O transporte por ônibus no distrito:

O transporte por ônibus na região era realizado pela Expresso Lagomar, que possuía linhas entre o Centro do município e bairros dos distritos de Manoel Ribeiro e Ponta Negra.



Ao ter o seu controle acionário assumido por pelos novos empresários, que já possuíam controle sobre a Gran Eufrásia de Barra do Piraí, a Expresso Lagomar recebe carros zero km comprados e mais tarde tem a sua razão social alterada, ostentando o nome fantasia "Gran Eufrásia", o mesmo já utilizado em Barra do Piraí.




Transição de identidade visual da Expresso Lagomar para a Gran Eufrásia 

Novamente a empresa tem o seu controle acionário transferido. Dessa vez sendo assumida por empresário do conglomerado Grupo Breda. Tal grupo era composto por empresas no segmento de transporte urbano e de turismo que atua na Cidade do Rio de Janeiro, sendo a principal delas, a Breda Turismo.



Com a transição, a Gran Eufrásia recebeu diversos veículos oriundos de empresas do grupo, entre elas a Auto Díesel. A Gran Eufrásia passou também a ostentar em seus veículos o slogam: "Viaje Gran Eufrásia".





Em 1997, o grupo cria em seu lugar a uma nova empresa. No dia 27 de fevereiro de 1997, são iniciadas as operações da Costa Leste Maricá Transportadora Turística, herdando tudo aquilo que era da Gran Eufrásia Turística.



A Costa Leste operava as linhas:

Maricá x Cajú
Maricá x Ponta Negra via Boqueirão
Maricá x Ponta negra, via Manoel Ribeiro
Maricá x Cordeirinho
Maricá x Silvado
Maricá x Espraiado
Maricá x Ubatiba
Maricá x Bambuí
Maricá x Caxito
Maricá x Jaconé
Maricá x Barra de Maricá
Maricá x Lagarto
Maricá x Retiro




Em 2015, o prefeito de Maricá iniciou uma queda de braço contra as empresas de ônibus particulares que operam na cidade. Na época, as empresas Costa Leste e N.Srª do Amparo obtiveram decisão judicial que determina a suspensão das operações da EPT – Empresa Pública de Transportes, da Prefeitura, que atende linhas com tarifa zero.



Costa Leste Maricá x EPT Maricá - Foto: Reprodução da internet

As empresas alegaram na ação, pelo Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro – Setrerj, que a EPT trava uma concorrência desleal com as concessionárias, que possuem contrato assinado previsto para terminar somente em 2020.


EPT - Empresa Pública de Transportes de Maricá - Maricá x Jaconé
Em 2017, a Costa Leste decidiu paralisar as atividades em Maricá, alegando perseguição da administração municipal contra a empresa. Na ocasião, outros seis ônibus da viação foram apreendidos pela Prefeitura e levados para um depósito público.



No dia 30 de julho de 2015, a Viação Costa Leste iniciou um serviço de transporte coletivo circular nas madrugadas na linha Centro x Ponta Negra.



O novo serviço circular aglutina as duas linhas nos horários de 01:00, 02:00 e 03:00 horas da manhã, fazendo o trajeto a partir do terminal rodoviário no Centro de Maricá, compreendendo o seguinte itinerário:

Ida:
Rodoviária - Boqueirão - Barra de Maricá - Guaratiba - Cordeirinho - Ponta Negra

Volta:
Bananal - Vale da Figueira - Manoel Ribeiro - Flamengo - Rodoviária.



Sendo assim, a versão noturna cobre as duas linhas regulares, que seguiam pela:

RJ-114 e RJ-102 (via Cordeirinho)
RJ-106 e RJ-118 (via Manoel Ribeiro)



Além da EPT - Empresa Pública de Transportes de Maricá, o distrito de Ponta Negra é atendido pela Viação Nossa Senhora do Amparo, através das linhas:

Linha 2590R Castelo x Ponta Negra via Boqueirão - Foto: Maycon Sccer
534A Niterói x Jaconé via Ponta Negra (turno único)
534R Niterói x Ponta Negra
578D Candelária x Ponta Negra via Manoel Ribeiro
590R Candelária x Ponta Negra via Boqueirão
2590R Castelo x Ponta Negra via Boqueirão



A Viação Nossa Senhora do Amparo foi fundada em 10 de maio de 1950 por Jacintho Luiz Caetano, um ilustre cidadão maricaense, que cresceu junto à sua terra.



No final do século XIX, os únicos meios de transporte em Maricá eram as carroças ou os próprios lombos dos animais. Em 1928 Jacintho adquire o seu primeiro caminhão. Em 1950 compra seus primeiros ônibus, que chegam à Maricá trazendo em suas latarias as inscrições "Viação Nossa Senhora do Amparo". 



Em 10 de maio, Jacinto dá início a uma nova atividade, o transporte coletivo. Foram comprados dois ônibus e 4 foram encomendados esperando o decreto que concederia a permissão para a Viação Nossa Senhora do Amparo iniciar o tráfego entre Maricá e Niterói.



Vários bairros de Maricá já foram servidos pela Viação Nossa Senhora do Amparo, com linhas municipais. Mais tarde os seviços da Amparo se restringiram apenas aos 3º e 4º distritos.



A empresa é detentora de todas as linhas intermunicipais de Maricá. Em 1973 surge a nova linha, a Maricá x Rio do Ouro e uma garagem de apoio foi construída em Rio Ouro.

A inauguração da Ponte Rio-Niterói em 1974, possibilitou a criação da linha Rio x Maricá em 1976.



Em agosto de 2017 a empresa inaugurou o "Serviço Expresso" na linha 2146D Castelo x Maricá.
O serviço diferenciado tem em seu percurso apenas dez pontos de embarque/desembarque e é diferenciado através de frota exclusiva em ônibus rodoviários na cor laranja.




O bairro bimunicipal de Jaconé 

Jaconé é um bairro limítrofe dos municípios de Saquarema e Maricá, lar de muitos pescadores, pesquisadores e surfistas.



Dentro dos limites do 3º Distrito de Saquarema e 2º Distrito de Maricá, o bairro faz divisa com os bairros de Ponta Negra, Sampaio Correa, Serra do Mato Grosso e Barra Nova.




Há um projeto de construção de um polo naval no bairro de Jaconé na parte que pertence à cidade de Maricá. Segundo dados da secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico, a área poderá escoar a produção do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (COMPERJ), localizado em Itaboraí, além de receber estaleiro para a manutenção de plataformas.



No dia 2 de julho de 2018, a Viação Nossa Senhora do Amparo obteve autorização do DETRO para o prolongamento da Linha 534R, que passou a operar horários com saída de Jaconé.



Essa alteração foi solicitada pela Associação de Moradores e Amigos de Jaconé e aprovada pelo DETRO (Departamento de Transportes Rodoviários), que entendeu as necessidades da comunidade.

Com isso, a linha atende a localidade de Jaconé, passando por Ponta Negra e Manoel Ribeiro.







Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Principais Asuntos

barcas (1) brt (1) Caminhos (11) corredores (3) destaque (5) empresas (10) ferrovia (2) ferrovias (2) guanabara (1) intermunicipais (12) Localidades (29) Malha (7) metro (1) mobilidade (9) municipais (2) municipios (1) noticias (11) onibus (20) ramais (1) regiões (8) seletivos (3) staff (3) Terminais (12) trens (3) vlt (1)

Total de visualizações de página


Somos movidos pelo interesse de explorar os meios, modos e regras que integram o sistema de mobilidade urbana no Estado do Rio de Janeiro. O avanço tecnológico tem trazido mais dinamismo nas cidades, fazendo com que a população evolua e acompanhe esse avanço.

Buscamos obter informações, matérias, históricos e projetos de mobilidade e transformação urbana, assim como a realização de visitas técnicas em empresas, concessionárias e instituições relacionadas à Mobilidade Urbana do RJ, cuja perspectiva é abordar temas mais diversos e estar inteirado no que há de vir nos serviços de transportes.


As Mais Lidas

Postagens Recentes