Serviço Especial Rio Orla

Iniciado em 1991, o Rio Orla compreendia a linha 503, Metrô Botafogo x Alto Leblon





A linha fazia o trajeto:
Rio Sul, Túnel Novo, Orla, Alto Leblon, indo por dentro (Ataulfo de Paiva/ Visconde de Pirajá) na volta.

O projeto homônimo, levado a cabo pelo prefeito Marcello Alencar, proibiu o trânsito de ônibus no sentido Centro da orla.

A primeira empresa a operar a 503 foi a Verdun, com seus Senior G4 um pouco mais sofisticados (bancos especiais, rádio e vidros escuros). Posteriormente a Braso Lisboa, a São Silvestre e a Estrela Azul entraram na linha, completando o pool. A SMTU liberou a criação de variantes que partissem de pontos próximos às garagens: a Verdun tinha a 503 Engenho Novo e a Estrela Azul, a 503 Grajaú.


Mesmo com a tarifa custando o triplo da modal (em 1997, quando a básica era R$ 0,55, a 503 custava R$ 1,75), a linha tinha movimento. 

Reportagem do Globo Zona Sul, datada do ano citado, mostra isso: 

O coordenador regional da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) na Zona Sul, na Zona Sul, Júlio Ulman, informa que a linha 503 tem operado com 20 carros nos últimos dois anos. Há 15 dias, porém, ele iniciou uma pesquisa de campo para verificar a demanda e verificar se há necessidade de aumentar a frota que serve ao itinerário. - Numa primeira avaliação, percebemos que é necessário pôr em circulação mais dois ou três carros para reduzir os intervalos, fato que, provavelmente, é o responsável pelas queixas que estão começando a aparecer agora - conta Ulman.

Uma das reclamações dos passageiros era a quantidade de carros parados em Botafogo, característica marcante da linha. Outra era a falta de ônibus com ar, problema resolvido quatro anos depois.

A frota era variada, indo das várias gerações de Senior aos Carolina e Agilis. Geralmente todas as empresas renovavam com pouco tempo de diferença, mantendo um certo padrão. Em 2002, a Braso adquire Senior semi-rodoviário com ar-condicionado, e no ano seguinte, a São Silvestre coloca seus Senior urbanos.

A 503 passou a ser operada com 10 carros: 6 da Braso, 2 da Estrela Azul e 2 da São Silvestre, os únicos com ar-condicionado. A tarifa passou a ser modal, o que desvirtuou o sentido do serviço e pode ter contribuído para seu esvaziamento.

Em 2002 o serviço Rio-Orla foi desativado e os pool ficou apenas com as empresas São Silvestre, Braso Lisboa e Transurb. As empresas Estrela Azul e Verdum saíram da operação da linha 503.

Junto com o serviço, a pintura padronizada acabou e as empresas passaram a utilizar suas identidades visuais.
Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Principais Asuntos

barcas (2) brt (2) Caminhos (11) cidades (11) corredores (17) destaque (5) empresas (19) exportado (14) extinto (3) ferrovia (6) ferrovias (11) guanabara (1) iconeI (2) iconeII (2) ilhagrande (1) intermunicipais (47) Localidades (29) Malha (9) metro (2) mobilidade (20) municipais (12) municipios (11) noticias (13) onibus (64) perigo (1) ramais (1) regiões (12) rotas (31) rotas1 (31) seletivos (12) staff (7) Terminais (12) transbrasil (1) trens (11) vlt (1)

Total de visualizações de página


Somos movidos pelo interesse de explorar os meios, modos e regras que integram o sistema de mobilidade urbana no Estado do Rio de Janeiro. O avanço tecnológico tem trazido mais dinamismo nas cidades, fazendo com que a população evolua e acompanhe esse avanço.

Buscamos obter informações, matérias, históricos e projetos de mobilidade e transformação urbana, assim como a realização de visitas técnicas em empresas, concessionárias e instituições relacionadas à Mobilidade Urbana do RJ, cuja perspectiva é abordar temas mais diversos e estar inteirado no que há de vir nos serviços de transportes.


As Mais Lidas

Postagens Recentes