Viação Ponte Coberta - No contorno da Serra de Madureira

Fundada em 4 de dezembro de 1970, a Viação Ponte Coberta teve a sua primeira sede localizada no município de Itaguaí. Sua garagem era localizada na Praça Castilho, atualmente município de Seropédica.



A Ponte Coberta opera atualmente nas linhas intermunicipais da Baixada Fluminense atendendo aos municípios de Nilópolis, Mesquita, Nova Iguaçu, Itaguaí, Mangaratiba, Seropédica e Rio de Janeiro.




A Viação Ponte Coberta operava linhas municipais em Itaguaí com o prefixo 03XXX e intermunicipais com o registro DETRO-RJ 190XXX.


Viação Ponte Coberta - Foto: Reprodução da Internet
A Viação Ponte Coberta tinha um enorme número de linhas que atendiam à BR-465 Antiga Estrada Rio-São Paulo, em sua maioria, ligando Campo Grande à Itaguaí, Paracambi e Seropédica.




Até então, a Viação Ponte Coberta e a EVAL tinham exclusividade no ligação com a Capital.



Já em 1985 começam a surgir mudanças na região. Com a saída da Empresa de Viação Angrense, começa a operar a Expreso Real Rio, originada de uma cisão da Turismo Transmil para operar na ligação de Itaguaí com o Centro do Rio.



Em 1991, a Expresso Real Rio e a Viação Ponte Coberta pertenciam ao Grupo JAL, e algumas mudanças ocorreram para as duas empresas.



Em 1994, a Viação Ponte Coberta perde mais de 50% de suas linhas, se mantendo apenas no eixo da RJ-105 Avenida Abílio Augusto Távora. Já a Expresso Real Rio, que até então só operava linhas executivas recebeu o eixo da BR-465 Antiga Estrada Rio-São Paulo.


Aérea de atuação dividida entre Viação Ponte Coberta e Expresso Real Rio

Até então, ambas as empresas tinham sede no distrito de Seropédica, a Ponte Coberta na Praça Castilho, ponto de intersecção da BR-465 Antiga Estrada Rio-São Paulo com a RJ-099 Estrada de Piranema, a Expresso Real Rio com a garagem oriunda da EVAL em Fazenda Caxias, localizado no km49 da BR-465, atual sede do município de Seropédica, emancipado de Itaguaí pela Lei Estadual n.º 2.446, de 12-10-1995.





Linhas transferidas da Viação Ponte Coberta:

737P Campo Grande x Campo Lindo via KM 32
739P Campo Grande x Seropédica via KM 32
740P Campo Grande x KM 34 via Rio-SP
741P Campo Grande x Praça Castilho via KM 32
744P Campo Grande x Ponte Coberta via KM 32
545P Campo Grande x Paracambi via KM 32
547P Campo Grande x Japeri via KM 32
436S Paracambi x Sepetiba
749P Belvedere x Santa Cruz via Av. Brasil
560P Cacaria x Itaguaí
709P Cacaria x Vila Geni via Piranema
738P Campo Grande x Ilha da Madeira via Piranema


Devido ao grande número de linhas sobrepostas na BR-465, considerando as linhas que foram adquiridas e as que continuaram com a Ponte Coberta, houve um enxugamento, onde as linhas mais longas foram seccionadas em Seropédica e as mais curtas foram extintas.



Aos fins de semana e feriados, a linha 705P era estendida até Nilópolis
Com isso, a Ponte Coberta ficou apenas com as linhas:

517I Nova Iguaçu x Praça Castilho
544P Nilópolis x Seropédica
547P Edson Passos x Sepetiba
548P Nilópolis x Campo Grande
704P Lagoinha x Campo Grande

705P Edson Passos x Bangu
742P Cabuçu x Campo Grande
743P Jardim Paraíso x Campo Grande
745P Nilópolis x Praça Castilho
746P Parque São Francisco de Paula x Campo Grande




Atualmente a linha 547P faz o trajeto Sepetiba x Jardim Paraíso. Esse trajeto foi seccionado no início dos anos 90 com a entrada dos novos sócios.



A linha 705P foi criada em 1992 pela Feital Transportes e Turismo.



A linha surgiu de um itinerário "Piarata" iniciado pela Feital Transportes e Turismo na década de 90.
A linha Nova Iguaçu x Bangu favoreceu aos moradores da Estrada de Madureira, que até então eram obrigados a fazer escala em Campo Grande. Os moradores do Jardim Paraíso chegaram a fazer um abaixo-assinado para a permanência da linha que, favorecia a eles uma economia de CR$ 76 diariamente.


RJ 190.077 incendiado na BR-465 durante a manifestação contra a proibição da circulação de 10 ônibus da Feital - Foto: Chiquito Aves

Em outubro de 1993, O DETRO-RJ proibiu a Feital Transportes e Turismo de operar a linha sem autorização. Segundo o o DETRO-RJ, se tratava de um itinerário ilegal, mas necessário, estimando ainda a demanda de 180 mil a 300 mil passageiros por dia, o que gerou a revolta que atingiu as empresas Viação Ponte Coberta e Expresso Nossa Senhora da Glória - que operam basicamente no eixo da Estrada de Madureira.




A criação da linha movimentou principalmente passageiros em direção à Bangu e outras áreas da Zona Oeste, área basicamente atendida pela Viação Ponte Coberta, com linhas entre Cabuçu, Nilópolis, Jardim Paraíso, Lagoinha na Baixada Fluminense e Campo Grande. Ao todo com 34 ônibus e 463 mil passageiros na época.


Moradores do Jardim Paraíso depedram ônibus após a suspensão de uma linha "pirata" - Foto: Chiquito Aves

A suspensão da linha trouxe revolta aos moradores da região que, em protestos realizados nos dias 7 e 8 de outubro daquele ano,  apedrejaram 14 ônibus da Viação Ponte Coberta e Expresso Nossa Senhora da Glória na Antiga EStrada Rio-São Paulo. 
Os ônibus eram das linhas Nova Iguaçu x Sepetiba e Nova Iguaçu x Belvedere. Os ônibus foram interceptados em frente à Estação de Tratamento do Guandu.


Manifestantes apedrejam ônibus da Viação Ponte Coberta na BR-465 - Foto: Chiquito Alves
A manifestação dorou cerca de 10 minutos, sendo interrompida com a chegada da Polícia Militar. Com a chegada da patrulha rodoviária, os veículos seguiram escoltados em comboio.



As empresas Ponte Coberta e Glória chegaram a interromper a operação de suas linhas e retornaram mais tarde, porém sem que seus veículos passassem pelo Jardim Paraíso e pelo Parque Pêra-Flor.



Após tanta insistência e reinvidicação da população, a linha foi então criada, sendo operada em pool pelas empresas Ponte Coberta, Feital e Real Rio (que operou por apenas 1 semana).



Em 2005 a Feital sofreu intervenção do DETRO-RJ e a Viação Ponte Coberta - que já estava operando em pool - passou a operá-la sem concorrência.


No dia 9 de agosto de 2017, o DETRO-RJ publica a Portaria de nº 1337, intervindo na prestação de serviços da Viação Costeira.
Com a intervenção, a Viação Ponte Coberta recebeu a permissão para operar algumass linhas com trajeto na RJ-105 Avenida Abílio Agusto Távora (Estrada de Madureira).




450T Nova Iguaçu x Itacuruçá via Avenida Brasil
452T Duque de Caxias x Muriqui via Nova Iguaçu


456I Duque de Caxias x Km 32/BR-465 via Nova Iguaçu
456T Duque de Caxias x Itacuruçá via Nova Iguaçu



Com a aquisição dessa linha, a Viação Ponte Coberta volta a operar em Itaguaí depois de quase três décadas de sua saída, após o repasse do setor para a Expresso Real Rio.




Grupo Ponte Coberta - 1ª formação

Entre as décadas de 70 e 80, alguns empresários se agruparam para consolidar a presença e impedir a entrada de outras empresas em sua área de atuação.


Com isso, havia um grupo formado pelas empresas, Viação Ponte Coberta, Viação Itaguaí, Expresso Nossa Senhora da Glória, Companhia Encontro SA e Viação Nossa Senhora Aparecida.



Fundada em 1983, a Viação Itaguaí dividia com a Viação Ponte Coberta a operação das linhas municipais em Itaguaí. As linhas da Viação Itaguaí atendiam principalmente as localidades de Belvedere, Itinguçu, Santa Sofia e o distrito de Nono.



Coesa fazia inicialmente as linhas:

426P Itaguaí x Cesarão > Passada para a Expresso Pégaso
425D Bangú x Venda da Cruz > Passada para a Viação Mauá
424D São Gonçalo x Campo Grande > Passada ara a Viação Mauá
708D Madureira x Caramujo > Passada para a Rio Ita
423D Vila Isabel x Neves > Operada pela Coesa



O conglomerado começa a se desfazer no início dos anos 90.


A Coesa tranfere sua área de atuação para a costa leste da Baía de Guanabara, deixando suas linhas da Zona Oeste nas mãos da Expresso Mangaratiba e Expresso Real Rio.


Com a saída da COESA, a migração da Ponte Coberta e Glória para o Grupo JAL e o encerramento da Aparecida, a Viação Itaguaí foi vendida para a Rio Pérola Transportes e Turismo (Elohin).


Ônibus da Viação Rio Pérola atravessando a antiga ponte de madeira em Mazomba em novembro de 1979
Foto: O Globo



Com a tranferência do seu controle societário, a Viação Itaguaí perde espaço na cidade para as Viações Elohin e Emanuel, que mais tarde se tornaram a Viação Cidade de Itaguaí, não tendo nenhum vínculo com a anterior.




A Viação Nossa Senhora Aparecida, com uma área de atuação pequena, é absorvida pela Empresa de Transportes Flores, ao ter adquirido a Viação Ponte Coberta e Expresso Nossa Senhora da Glória.




A Viação Nossa Senhora da Conceição, extinta em 1979, mantia a sua empresa de Turismo, a Conceitur Transportadora Turística, com registro Embratur 070065600.0 para viagens nacionais e internacionais.


A parte de turismo era sediada na Rua Carlos de Souza Fernandez em Olinda. A empresa tinha muitos veículos agregados à sua Frota.

Com a dissolução da empresa urbana, a Conceitur com 5 veículos foi adquirida pela Viação Ponte Coberta.



Formação do Grupo Transmil

Até 1999 a Viação Ponte Coberta, Expresso N.S. Gloria juntamente com a Real Rio formavam um subgrupo e a Trans1000, embora tivesse uma boa participação do grupo JAL funcionava de forma independente.

No final daquele ano as garagens da Ponte e da Gloria foram desativadas e os carros da Gloria passaram a recolher na garagem da Transmil em Queimados e os da Ponte recolhiam na garagem de Edson Passos, também da Trans1000.


Expresso Nossa Senhora da Glória
A Turismo Transmil recolhia nas duas garagens, e posteriormente, após a entrada da Gardel ao grupo, a Glória passou a recolher em Edson Passos.



Nessa fase os despachantes e fiscais de ponto usavam o uniforme da Trans1000 e os aros da PC e Gloria foram pintados de prata.
Ao entrar para o grupo, a  Gardel Turismo passou a ter sua administração na garagem da Transmil, em Queimados.


A primeira empresa do grupo a ser fundada foi a Expresso Nossa Senhora da Glória, no dia 3 de fevereiro de 1964.

Expresso Nossa Senhora da Glória - Foto: Reprodução da internet
Sua primeira garagem ficava localizada na Rua Doutor Thibal, 80 no Centro de Nova Iguaçu e, em 1970, foi transferida para a Estrada Abílio Augusto Távora, em Cabuçu. Com a formação od Grupo Transmil, a Glória desativou a sua garagem em Cabuçu e se manteve na sede do grupo em Cosmorama.



A Expresso Nossa Senhora da Glória opera linhas municipais em Nova Iguaçu, tendo como principal área de atuação a Avenida Abílio Augusto Távora em toda a sua extensão.


A Gardel Turismo foi fundada em 9 de agosto de 1973. Sua garagem sede está localizada no bairro Ponte Preta, Queimados.

A empresa opera entre nos municípios de Japeri e Queimados, onde possui linhas intermunicipais e municipais. Suas linhas em ambos os municípios atentem aos bairos localizados entre a Estrada de Ferro e a Rodovia Presidente Dutra. O outro lado da ferrovia é atendido pela Fazeni Transportes e Turismo.



Enquanto integrava o Grupo Transmil, a empresa era administrada na garagem da Turismo Transmil.



Grupo Ponte Coberta > 2ª Formação

Em 2003, a Turismo Transmil deixa o Grupo JAL, e sob o controle de seus novos administradores, Antonio Carlos Miranda e José Roberto Reis, entra em crise financeira e deixa de fazer parte do grupo, fazendo que o mesmo entrasse em extinção no mesmo ano. 


Com a saída da Transmil, foi criado o Grupo Ponte Coberta, com o objetivo de tornar uma união de empresas em uma só sede administrativa.




A Viação Acari só passou a fazer parte do Grupo Ponte Coberta, já sem a participação da Turismo Trans 1000 em 2003.



A Viação Acari foi formada em 1962, atendendo às determinações do Governo do Estado da Guanabara, que obrigava os proprietários de lotações individuais a se organizarem em empresas.

A sociedade foi fundada através de Assembleia Geral Constituinte realizada no dia 25 de março de 1962, com frota inicial de 20 lotações, cadastrados na linha Meier x Acari.



Share:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores

Principais Asuntos

barcas (1) brt (1) Caminhos (11) corredores (3) destaque (5) empresas (10) ferrovia (2) ferrovias (2) guanabara (1) intermunicipais (12) Localidades (29) Malha (7) metro (1) mobilidade (9) municipais (2) municipios (1) noticias (11) onibus (20) ramais (1) regiões (8) seletivos (3) staff (3) Terminais (12) trens (3) vlt (1)

Total de visualizações de página


Somos movidos pelo interesse de explorar os meios, modos e regras que integram o sistema de mobilidade urbana no Estado do Rio de Janeiro. O avanço tecnológico tem trazido mais dinamismo nas cidades, fazendo com que a população evolua e acompanhe esse avanço.

Buscamos obter informações, matérias, históricos e projetos de mobilidade e transformação urbana, assim como a realização de visitas técnicas em empresas, concessionárias e instituições relacionadas à Mobilidade Urbana do RJ, cuja perspectiva é abordar temas mais diversos e estar inteirado no que há de vir nos serviços de transportes.


As Mais Lidas

Postagens Recentes